colisão II

Agora é hora de outro agora…
renascendo como sempre, a semente

os pedaços incongruentes
aos poucos se unem, via fadada

orbitam em meio ao nada
e ainda assim perfeito, intocável

à densidade insuportável
de tanto sentimento, amados

os gritos calados
tornam-se gemidos, despertas

e as veredas, frestas abertas
são passagens e acolha

agora é a hora da escolha
corações e corpos concernentes

mais um passo e tudo será diferente
passo dado, devaneie

semeie pequena, semeie
sua árvore sombreará o mundo!

e cuidado:
você precisa olhar fundo!

grandes abacates são perigosos
na medida certa, acertado!

agora é hora na qual nos encontraremos
olhares e mãos ansiosos

quando nossos carros colidirem
o amor, a morte – findaremos

talvez
se decidirem

(A)g(o)ra é hora de ficar de vez.

lá fora… é outra hora…

Anúncios

1 Comentário »

  1. gra Said:

    oiee..
    mto boa esse poema ^^
    bjinhus..


{ RSS feed for comments on this post} · { TrackBack URI }

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: