{[a(corde)]l}

sou uma só

um pouco abandonada

cheirando renda guardada

vestido com vontade de usar

me estranha é verdade

essa falta de capacidade

de querer dizer e ousar

me falta uma quintessência

de dama em florescência

daquelas que dá gosto de ver

mulé vestida de sol

mas um dia eu hei de ser

se deus, joana ou quem mais o aprovar

e aí, começa a danação

nem querendo cabe em redação

os prodígios e feitos da que virá

quem viveu não viu, mas que puder, verá

aí não há bicho que me pegue

muito menos fardo que não aguente

seca, fome ou serpente

serei aquilo que eu quiser!

Anúncios

2 Comentários »

  1. ninil Said:

    Belo!
    Com certeza, o sol já está tecendo todas as novas rendas que te cobrem.
    Senti falta da sua escrita nesses meses.

  2. terezinha Said:

    Pura e simplesmente
    ADOREI
    ADOREI A POESIA!


{ RSS feed for comments on this post} · { TrackBack URI }

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: